Agradecemos o seu interesse em fazer parte da equipe do Hospital e Maternidade Jaraguá. Em constante crescimento, o HMJ conta com um setor de recrutamento e seleção que avalia e seleciona os currículos para diversas vagas disponíveis na Instituição.

Faça o seu cadastro preenchendo os campos abaixo e encaminhe em anexo seu currículo e venha fazer parte desta equipe!

 

Notícias

25 JAN 21

Profissionais do Hospital e Maternidade Jaraguá começam a receber vacina contra a Covid-19

A vacinação contra a Covid-19 iniciou hoje (25) para os profissionais que atuam na linha de frente do Hospital e Maternidade Jaraguá. A instituição foi beneficiada com 330 doses da vacina Coronavac, produzida pelo laboratório Sinovac em parceria com o Instituto Butantan.

 

O Hospital seguirá as recomendações do Ministério da Saúde e do Governo do Estado e, por isso, dará prioridade aos colaboradores que atuam nas Unidades de Tratamento Intensivo de Covid-19.

 

A enfermeira Polliane Beatriz Trainoti e a técnica em enfermagem Edith de Fatima Pangartte Cardoso, que atuam diretamente nas UTIs que atendem os pacientes com o novo coronavírus, foram as primeiras a serem vacinadas pela equipe do Setor de Imunização da Secretaria Municipal de Saúde de Jaraguá do Sul.

 

A previsão é de que todas as doses, dessa primeira remessa, sejam aplicadas até terça-feira (26). Os demais profissionais de saúde serão imunizados, gradativamente, conforme a disponibilidade das vacinas.

HMJ na mídia
01 SET 20

Inédito: Curso de Gestantes e Pais Grávidos 100% on-line

Há mais de 50 anos o Hospital e Maternidade Jaraguá vem cuidando da saúde das famílias de Jaraguá do Sul e região. A instituição é vinculada à Rede Cegonha, uma rede de cuidados desenvolvida pelo Sistema Único de Saúde (SUS) para garantir uma gravidez, parto e puerpério seguros e humanizados, assim como o direito ao planejamento reprodutivo para as mulheres. A iniciativa também visa assegurar o direito ao nascimento seguro e humanizado, assim como o crescimento e o desenvolvimento saudável das crianças.

Há mais de 10 anos, o atendimento de referência da Maternidade do HMJ também é estendido a um curso voltado especificamente para gestantes e seus companheiros. Em 2020, diante das restrições de isolamento social, o Hospital e Maternidade Jaraguá lança o curso numa versão inédita. O conteúdo será oferecido de forma digital para atender os futuros papais e mamães no conforto de seu lar. Com orientações em vídeo, o “Curso de Gestantes e Pais Grávidos do Hospital e Maternidade Jaraguá” traz dicas valiosas para ajudar no processo de preparação da gestante, nascimento e cuidados com o bebê.


De acordo com a coordenadora de enfermagem do Hospital e Maternidade Jaraguá, Paolla Ruthes de Souza, o casal que participa do curso para gestantes fica mais preparado para o momento da gestação, parto e nascimento. “Eles conseguem se preparar com base em nossa realidade diminuindo a ansiedade e fazendo com que os acontecimentos sejam mais naturais e a rotina da instituição seja mais familiar, criando mais confiança para enfrentar aquilo que, para muitos, é desconhecido”, conta.


O curso terá orientações e dicas de enfermeiras, pediatras, ginecologista/obstetra e nutricionista. Os papais e mamães receberão informações que envolvem desde os cuidados necessários durante a gestação, passando pelo momento do parto, amamentação, orientações nutricionais, até dicas práticas como troca de fraldas, banho, cuidados com o cordão umbilical, orientações de alta da maternidade, documentação necessária para registro de nascimento do bebê. Informações sobre exames e vacinas necessárias, dicas sobre como evitar acidentes domésticos com a criança e até orientações para lidar com possíveis engasgos do bebê, também fazem parte do conteúdo.

SERVIÇO
O QUÊ: Curso de Gestantes e Pais Grávidos do Hospital e Maternidade Jaraguá
PÚBLICO ALVO: Gestantes e acompanhantes
COMO: 100% on-line
INSCRIÇÕES PARA O CURSO: 
https://www.fenomenosaprendizagem.com.br/loja/catalogo/boas-praticas-para-gestantes-e-pais-gravidos_159/

HMJ na mídia
24 JUN 20

Bebê que ingeriu soda cáustica passa por tratamento inédito em Jaraguá do Sul

Um bebê de 1 ano e sete meses que ingeriu soda cáustica em Jaraguá do Sul foi salvo após passar por um procedimento que, até então, era inédito na cidade. A criança ingeriu o produto, que é altamente corrosivo, há cerca de dois meses, de forma acidental. Desde então, o caso era monitorado pela equipe do Hospital e Maternidade Jaraguá.

 

— Na tentativa de cicatrizar e curar a queimadura que a soda cáustica causa na mucosa do esôfago, o corpo faz uma estenose, que é o estreitamento da luz do órgão. Com isso, acaba ocorrendo uma dificuldade alimentar ao paciente. Para tentar reverter esse quadro, foi preciso dilatar e aumentar a luz do órgão com materiais específicos para que a criança possa voltar a se alimentar bem e não tenha risco nutricional no futuro — explica a gastroenterologista pediátrica Angélica Luciana Nau.

 

O nome do processo pelo qual o bebê passou é dilatação esofágica. O procedimento é considerado de risco, pois podem surgir complicações durante o processo, como a perfuração do esôfago do paciente.

 

Entre preparar o paciente, anestesiar e concluir o processo, a operação durou 30 minutos. A médica responsável pela endoscopia e a dilatação esofágica contou com o apoio de anestesista, radiologista, técnico em radiologia e enfermeiras. Os residentes em pediatria, do HMJ, também acompanharam o procedimento.

 

A criança recebeu alta no dia seguinte ao procedimento e a família confirmou que a criança está bem e já se alimenta melhor. O tratamento deve continuar por um longo período. Inicialmente, a previsão é que o paciente realize outras dilatações de esôfago no intervalo de algumas semanas.

 

— Conforme for melhorando e conseguindo se alimentar melhor, poderemos espaçar mais, mas o tratamento costuma ser prolongado — complementa a médica.

 

Em caso de ingestão acidental de soda cáustica, a pessoa não deve provocar o vômito porque, ao fazer isso, a substância passará mais uma vez pela mucosa e causará mais lesões. Ela também não deve beber água, já que o líquido aumenta a superfície de contato do produto agressor com os tecidos. A melhor solução é ir imediatamente para o hospital para o médico avaliar a extensão do dano.

HMJ na mídia