A ouvidoria é um canal de atendimento criado para aprimorar cada vez mais os nossos serviços, através de sugestões, elogios e reclamações. Para acessar o serviço de Ouvidoria você pode manifestar-se:

 

Pessoalmente

No setor de Ouvidoria, de segunda à sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 17h.

 

Via telefone

Você poderá ligar para o (47) 3274 3015 e falar pessoalmente com o setor de Ouvidoria.

  

Envio de correspondência

Hospital e Maternidade Jaraguá

Rua dos Motoristas de 1936, 120 - Jaraguá do Sul

CEP:89255-060
A/C Ouvidoria HMJ

 

Via Formulário

Ainda, poderá fazer o preenchimento do formulário disponível em vários pontos no Hospital e Maternidade Jaraguá, ou através do formulário abaixo.

 

Notícias

25 FEV 19

HMJ forma mais uma turma de médicos residentes

Aconteceu na última sexta – feira, dia 22, a cerimônia de formatura de mais uma turma de médicos residentes, formados pelo Hospital e Maternidade Jaraguá. No total, quatro profissionais da saúde receberam o título de especialistas. Na área de Ginecologia e Obstetrícia se formaram: Cristina Fedalto Chicoski e Julian Teodoro Medina Quispe. Já na especialidade de Pediatria, concluíram esta etapa: Camila Smekatz Simão e Liliana Deeke.

 

Na residência, profissionais formados em medicina aprofundam conhecimentos sobre uma área específica, conciliando 70% da carga horária prática com 30% de aula teórica. Os estudantes recebidos saem desta fase prontos para atuar no mercado, mas também contribuem para o aprimoramento dos médicos que já fazem parte do corpo clínico do hospital, já que o programa fomenta a atualização e a troca de experiências entre ambas as partes.

 

O Programa de Residência Médica iniciou, em Jaraguá do Sul, em 2015 e foi aprovado pela Comissão Nacional de Residência Médica e pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC).

HMJ na mídia
21 DEZ 18

Papai Noel leva encanto do Natal para o Hospital Jaraguá

O braço engessado de Kaue Daniel Hannig denunciava que o garoto andou tendo problemas antes mesmo do início das férias.

 

Uma queda de bicicleta deu de “presente” um gesso que deve permanecer por alguns dias até que ele esteja pronto para a próxima. Aguardando na sala de espera do Hospital Jaraguá, o menino de 10 anos foi surpreendido.

 

Barba branca, cabelo branco, roupas e chapéu vermelho e, nas mãos, doces e brinquedos. O Papai Noel levou alegria, na manhã de quinta-feira (20), às crianças que estavam na unidade e, para Kaue, além do desejo de melhoras, um boneco do Batman. “Eu me comportei durante o ano sim, o braço foi um acidente”, garantiu.

 

Para a mãe, Kaliny Hannig, 21 anos, a presença do “bom velhinho” é importante uma vez que devolve a magia do Natal em um período no qual o distanciamento causado pelas facilidades tecnológicas tem atingido até mesmo a relação entre crianças e o Papai Noel.

 

“Eu acho muito importante porque no mundo que temos hoje, não há mais esse contato, parece que ver do outro lado da tela basta e trazê-lo aqui é muito importante, especialmente para as mais pequenas que demonstram o encantamento com o olhar”, disse.

 

Para o bom velhinho, que já leva a alegria do Natal há nove anos às crianças jaraguaenses no Jaraguá do Sul Park Shopping, a diferença que existe entre as crianças que o visitam fora do hospital e as que estão hospitalizadas é capaz de gerar uma reflexão até no próprio Papai Noel, que vê a necessidade de reavaliar a doação de tempo e amor ao próximo.

 

“Você começa a avaliar o que é o amor, o doar e você percebe que o ato de doar uma bala, um doce, se traduz, para elas, no gosto do amor e da preocupação”, destaca.

Alegria em momentos difíceis
Com o pirulito em uma mão e a boneca em outra, Maria Gabriely Martins Veloso, de 7 anos, deixava as lágrimas caírem, mas não eram de emoção. Enquanto o curativo era feito na perna direita, o Papai Noel chegou e levou um pouco mais de felicidade para a garotinha que se recupera de uma cirurgia.

 

Apesar de já ter escolhido o nome “Barbie” para a boneca, Maria Gabriely deixou bem claro para a mãe que a felicidade do momento era apenas pelo presente. “Não estou nem um pouco feliz. Com o presente sim, mas com os pontos não”, tratou logo de esclarecer.

 

A visita do Papai Noel emocionou Jeane de Carvalho. A mãe de Thalita, que é uma das duas crianças residentes do hospital, não se furtou em abraçar e agradecer a visita, mesmo que o Natal não seja uma das datas preferidas da mãe, que tem motivos para isso.

 

“Não sou muito fã do Natal por ela [Thalita] que não vive ele como um todo. É muito importante pra mim, como mãe. Sempre que eu passava pelo shopping e via as crianças sentadas conversando com ele, imaginava e sabia que ela não teria como ter esse momento e hoje eu vi que ela se emocionou. Não tenho muito o que dizer, apenas agradecer porque, por mais que ele seja um símbolo apenas, toda criança tem isso e ela não tinha”, disse.

 

A ação que levou o Papai Noel para visitar as 21 crianças internadas – 10 delas na UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) – e aquelas que recebiam atendimento foi desenvolvida em parceria entre o shopping e o hospital, com o objetivo de oportunizar o encontro entre elas e um pedacinho da magia do Natal.

HMJ na mídia
06 DEZ 18

Música e emoção embalam encerramento do Hospital Jaraguá

O Hospital e Maternidade Jaraguá encerrou o ano incentivando o reconhecimento do real espírito natalino. Durante a Cantata de Natal, funcionários, autoridades, parceiros, pacientes e voluntários se emocionaram ao som de canções natalinas apresentadas pela Orquestra Instituto Federal de Santa Catarina e o Coral Fundação Cultural Alemã, na noite da última quarta-feira, 5.

 

O diretor-executivo Sérgio Luís Alves considerou o momento como a união da família HMJ. “Como somos um hospital materno-infantil, acreditamos que todos os dias nasce um menino Jesus aqui dentro. Assim, mantemos sempre viva a esperança de que algo bom vai acontecer”, comentou. Ele ainda aproveitou para expressar gratidão à comunidade. “Desejamos que todos tenham um excelente Natal e um 2019 melhor e cheio de paz”, finalizou.

 

Na oportunidade, o capelão do HMJ e pastor da Igreja Evangélica Luterana, Ivanildo Laube, realizou uma cerimônia ecumênica e convidou o público a refletir sobre o nascimento de Jesus. “Parece que, nessa época, as pessoas ficam mais sensíveis, mais dispostas, mais sonhadoras. Há uma expectativa e um olhar diferente, um desejo de fazer coisas boas”, lembrou.

 

Quem fez questão de participar do evento foi a aposentada Maria Malheiro. Com 71 anos, ela se emocionou e cantou junto as tradicionais canções natalinas. “É tão bom termos saúde para participar e ouvir músicas que nos fazem lembrar do verdadeiro sentido do Natal e que mexem com o coração da gente”, enfatizou.

 

Ao final do evento, todos os presentes se posicionaram na escadaria do hall de entrada do HMJ em um momento de congraçamento. Eles cantaram juntos com a orquestra e o coral, fechando, assim, mais uma edição da Cantata de Natal da unidade.

HMJ na mídia