VOLTAR PARA AS NOTÍCIAS
02 JAN 21

Jorge Otávio é o primeiro bebê a nascer em Jaraguá do Sul em 2021

O ano de 2020 foi pesado e muita gente quer esquecê-lo. Por isso, a virada de ano estava sendo aguardada com ansiedade, pela mensagem de esperança trazida. E alguém bem pequenininho não quis esperar mais e veio ao mundo antes da hora.

 

O pequeno Jorge Otávio Feldman é o primeio bebê nascido em 2021 em Jaraguá do Sul. Ele chegou às 8h30 de 1º de janeiro, de parto cesárea.

 

Com 3,330 quilos, Jorge é o primeiro filho do casal Carol Sthefany dos Santos da Silva e Jorge Alexsandro Feldmann, de Guaramirim.

 

O pai conta que a cesárea, com o médico obstetra Luis Fernando Rodrigues, estava marcada para o dia 4 de janeiro, próxima segunda-feira.

 

Mas por volta das 2h da manhã do primeiro dia do ano a bolsa de Carol estorou e o casal precisou ir à maternidade, no Hospital e Maternidade Jaraguá.

 

"Muitos de nossos amigos e familiares, e nós mesmos, parece que já esperávamos isso! Devido à virada da lua no dia 31 de dezembro. Não sabemos o motivo, mas foi só passar a virada de ano e o Jorge resolveu se antecipar", conta o mais novo papai.

 

Pais de primeira viagem, Feldmann conta que a pandemia do coronavírus trouxe muitos aprendizados ao casal.

 

"Nos trouxe uma nova forma de viver e de se relacionar com as pessoas. E a gravidez foi algo bastante inesperado, porém, nos deixou bastante felizes quando recebemos a confirmação", relata.

 

Viver a gravidez durante a pandemia foi desafiador para o casal, que gosta muito de sair e receber amigos em casa o tempo todo.

 

"Mas foi algo incrível que nos proporcionou uma grande evolução como seres humanos, algo que com certeza continuará agora com nosso filho entre nós", diz.

 

O novo ano começa com muitas mudanças na vida de Jorge e Carol, trazendo uma nova rotina, mas que com certeza também traz muito amor e aprendizados.

24 JUN 20

Bebê que ingeriu soda cáustica passa por tratamento inédito em Jaraguá do Sul

Um bebê de 1 ano e sete meses que ingeriu soda cáustica em Jaraguá do Sul foi salvo após passar por um procedimento que, até então, era inédito na cidade. A criança ingeriu o produto, que é altamente corrosivo, há cerca de dois meses, de forma acidental. Desde então, o caso era monitorado pela equipe do Hospital e Maternidade Jaraguá.

 

— Na tentativa de cicatrizar e curar a queimadura que a soda cáustica causa na mucosa do esôfago, o corpo faz uma estenose, que é o estreitamento da luz do órgão. Com isso, acaba ocorrendo uma dificuldade alimentar ao paciente. Para tentar reverter esse quadro, foi preciso dilatar e aumentar a luz do órgão com materiais específicos para que a criança possa voltar a se alimentar bem e não tenha risco nutricional no futuro — explica a gastroenterologista pediátrica Angélica Luciana Nau.

 

O nome do processo pelo qual o bebê passou é dilatação esofágica. O procedimento é considerado de risco, pois podem surgir complicações durante o processo, como a perfuração do esôfago do paciente.

 

Entre preparar o paciente, anestesiar e concluir o processo, a operação durou 30 minutos. A médica responsável pela endoscopia e a dilatação esofágica contou com o apoio de anestesista, radiologista, técnico em radiologia e enfermeiras. Os residentes em pediatria, do HMJ, também acompanharam o procedimento.

 

A criança recebeu alta no dia seguinte ao procedimento e a família confirmou que a criança está bem e já se alimenta melhor. O tratamento deve continuar por um longo período. Inicialmente, a previsão é que o paciente realize outras dilatações de esôfago no intervalo de algumas semanas.

 

— Conforme for melhorando e conseguindo se alimentar melhor, poderemos espaçar mais, mas o tratamento costuma ser prolongado — complementa a médica.

 

Em caso de ingestão acidental de soda cáustica, a pessoa não deve provocar o vômito porque, ao fazer isso, a substância passará mais uma vez pela mucosa e causará mais lesões. Ela também não deve beber água, já que o líquido aumenta a superfície de contato do produto agressor com os tecidos. A melhor solução é ir imediatamente para o hospital para o médico avaliar a extensão do dano.

HMJ na mídia
22 JUN 20

Hospital Jaraguá segue em campanha sobre doação do Imposto de Renda

Em 2020, a Declaração do Imposto de Renda poderá ser realizada até o dia 30 de junho. Ao realizar esta ação, pessoas físicas e jurídicas de todo o país, podem escolher direcionar parte do valor que serão pagos em impostos, para ajudar instituições que realizam projetos de saúde em benefício de crianças e adolescentes. O gesto pode ser feito há 26 anos, através do Fundo para Infância e Adolescência (FIA), mas o processo ainda gera dúvidas para muitas pessoas.

 

Por isso, o Hospital e Maternidade Jaraguá (HMJ), lançou em março deste ano, a campanha “Atitude que gera amor”, para chamar a atenção da comunidade para esta possibilidade. Todos os anos, em média, quatro mil bebês nascem na Maternidade do Hospital Jaraguá tornando a instituição uma referência para sete municípios na região da AMVALI – Associação dos Municípios do Vale do Itapocu.

 

Conforme a gestora de relações com mercado do hospital, Josiane Gonzaga dos Santos, a expectativa é que as doações do Imposto de Renda deste ano garantam os recursos necessários para a ampliação da Maternidade, que poderá expandir a sua capacidade de atendimento e oferecer ainda mais recursos para mães e bebês.

 

O investimento para a conclusão do projeto de ampliação da maternidade do HMJ é de pouco mais de R$ 4 milhões. A doação ao FIA é legal, validada pela Receita Federal e está prevista no Estatuto da Criança e do Adolescente desde 1994.

HMJ na mídia