28 FEV 20

HMJ usa realidade virtual para humanização no atendimento

O Hospital e Maternidade Jaraguá lançou nesta quinta-feira (27) o projeto de realidade virtual no Pronto Atendimento (PA) infantil da entidade.

A proposta é humanizar o atendimento de crianças e adolescentes entre 3 e 13 anos com a ajuda da tecnologia. Para isso, o hospital adquiriu, com recursos municipais, cinco equipamentos de realidade virtual.

"Vamos usar os óculos de realidade virtual no momento da realização dos procedimentos, por exemplo, na hora de uma punção venosa, de um curativo, de uma sutura", explica a coordenadora do PA, Taís Fernanda Gregol Bassani.

Os óculos de realidade virtual imitam a visão humana e projetam para quem os utiliza um vídeo com áudio, que pode ser de qualquer cenário imaginável. A sensação para quem usa é realmente de estar em outro lugar, diferente do real.

No Hospital Jaraguá, o vídeo projetado é uma animação, onde a abelha Sabine explica para a criança tudo o que está acontecendo durante o procedimento.

 

"Ela vai contando o que acontece: Ah, agora espera um pouquinho, você vai sentir uma picadinha, é rapidinho, já vai passar. Então a abelhinha vai interagindo com a criança no momento do procedimento", descreve a coordenadora.

A ideia é aliviar a tensão da criança, que na maioria das vezes surge antes mesmo do procedimento.

De acordo com artigos pesquisados pela equipe do projeto, apenas tirando o foco do que está acontecendo, como deixar de olhar, já pode reduzir até 25% da dor.

"Pensamos em muitas ideias para humanização e optamos por usar a tecnologia em favor das crianças", conta Taís.

 

Momento de descontração

 

Os óculos de realidade virtual foram adquiridos pelo hospital a partir de recursos gerenciados pelo Conselho Municipal da Criança e do Adolescente (CMDCA), de Jaraguá do Sul, por meio da inscrição e aprovação de projeto.

 

Foram investidos cerca de R$ 29 mil na compra dos cinco equipamentos, mais dois celulares e o desenvolvimento do vídeo.

"O projeto foi feito como a gente quis, escolhemos o personagem da abelha, a gente escolheu a punção venosa que é onde a criança mais chora. Cronometramos todo o tempo, então a abelinha vai dizendo para a criança as etapas na hora que acontecem", diz Taís.

"A abelhinha deixa a criança mais segura e fala para ela que ela vai passar por aquilo mesmo, que a nossa ideia não é mentir, porque a criança precisa passar por isso. A ideia é que o momento aconteça de forma mais carinhosa, que tire um pouco esse peso, angústia, de dor", ressalta.

 

HMJ na mídia
19 FEV 20

Hospital e Maternidade Jaraguá reestrutura Data Center

O projeto de reestruturação durou 12 meses. Segundo o Gerente de Infraestrutura, Guilherme Kienen, o projeto visou atender as necessidades atuais e também futuras ampliações, de forma a “oferecer melhores práticas na operação do negócio, relacionando a tecnologia e a segurança”. Após o mapeamento da infraestrutura existente, iniciou-se o planejamento, onde “foram prezados os pilares da Disponibilidade, Desempenho, Escalabilidade, Redundância, Estabilidade e Backup”, completa.
Nesta etapa foram discutidos quais aplicativos exigem mais performance, necessidades de contingência, expectativas em termos de desempenho e necessidade de consolidação dos bancos de dados dos sistemas de gestão assistencial, administrativa e financeira, de recursos humanos e legados de desenvolvimento próprio.
Em junho de 2019 a requisição de proposta (RFP) com os requisitos técnicos do projeto foi lançada ao mercado para a negociação e definição da compra de equipamentos, onde foram comprados cinco servidores e reorganizados os já existentes, além da aquisição de um storage de maior capacidade e um novo sistema de backup. Por fim, a migração dos serviços para as novas tecnologias ocorreu durante o período de um mês, executada de forma a mitigar potenciais impactos para os usuários e pacientes do Hospital.

HMJ na mídia